sábado, 12 de abril de 2008

Vice-Reitor Edgard Mamyia renuncia ao cargo

É isso ai galera, apesar de o site da UnB ainda não informar, Edgard Mamyia acabou de renunciar ao cargo. Com a renúncia do vice e o afastamento de Timothy, a UnB está temporariamente sem reitor. O Ministro da Educação, Fernando Haddad, deverá indicar agora um interventor para a reitoria da UnB, porém muitos estudantes aqui na Reitoria já têm se manifestado contra um interventor. A alternativa que defendemos é que a UnB indique, ela mesma, uma pessoa da comunidade acadêmica para assumir a reitoria enquanto são convocadas eleições paritárias para reitor e um congresso estatuinte para iniciar a reconstrução de uma nova UnB. Todo este processo deveu-se fortemente à atuação do Movimento Estudantil, que conseguiu agregar aos poucos professores e servidores que antes estavam receosos de admitir publicamente uma posição de confronto.

11 comentários:

pedro disse...

isso ae galera.... primeira vitória de muitas!!!!!

bola pra frente q a UnB eh nossa!!!!

Abraço a todos

eunaocupacao disse...

Gente esse aqui é o endereço de um outro blog (não oficial) sobre a ocupação da reitoria:
www.eunaocupacao.blogspot.com

Paulliny Gualberto disse...

Companheiros, a conquista é nossa!!!
Os frutos serão de todos...
Parabéns a todos!

Fortes abraços,

Paulliny

bandeira disse...

Ha, ha, ha, ha, ha!!!!Eu já sabia!!!
Não podia dar noutra coisa...
Mas isso só está ocorrendo porque os estudantes estão mobilizados e não arredaram pé.
E pensar que esses "reitores?" contavam com a apatia, alienação e desinteresse dos estudantes para a política e que iriam nadar de braçada, usando e abusando dos recursos público.
Mas a Universidade brasileira somente irá avançar nas conquistas democáticas com a radicalização e engajamento total dos estudantes, porque a depender dos professores ficaremos na paz dos cemitérios, no melhor dos mundos.
PARABÉNS, O BRASIL ESTÁ COM VOCÊS.
Ocupação até à vitória total!!!!!
Ao Mamia, hasta la vista, no más, baby...

Jamile Barbosa disse...

Parabéns ao ME da UNB vocês demonstram que a união é fundamental

estou orgulhosa e feliz por essa conquista

Ecoaecoa disse...

Parabéns movimento da UnB! Esse mérito é de vocês mas a vitória é do país!

Alissa
https://www.blogger.com/comment.g?blogID=4246717551642009337&postID=1842905000182612533

Ocupação UnB disse...

Democracia prioridade!
o estudante defende a paridade!

Sugiro esse canto agora...a máfia já foi desmontada e há professores, alunos e funcionários da Universidade de Brasília empenhados em trabalhar com amor...

Os egos passaram e quem realmente segura o transformar social são os grupos autônomos que sem falar muito concretizam um tanto...

Um novo pensamento estar por vir a reação vai chegar e o que for será...

Prototipo disse...

Remelentos & Mafaldinhas da UnB se revelam
Vocês viram que não dei trela pra turma que invadiu a reitoria da UnB, ainda que o tal Timothy Mulholland não tivesse condições de continuar no cargo. Recomendo, para tirar a turma de lá, o mesmo que recomendei no caso da USP: Polícia. Aqui, eu chamava a PM de “democracia de uniforme”. Lá, chamo a PF de “democracia de colete preto”. Lei é para ser seguida, por mais que esse princípio cause estranheza a Tarso Genro, que está se revelando um ministro da Justiça de mão cheia.

Pois bem. Os Remelentos & Mafaldinhas, agora os de Brasília, decidiram ampliar a sua pauta de reivindicações. Querem mudar os estatuto da UnB, além de afastar o vice-reitor, Edgar Mamiya, e mais cinco decanos. E isso é pouco.

"Queremos que os alunos tenham participação paritária em todos os conselhos da universidade. Hoje, a participação dos estudantes vale menos que a dos professores". Que injusto! Onde já se viu, numa universidade, a pessoa que ensina ter mais influência do que a pessoa que aprende??? Isso é uma inversão completa de valores, não é mesmo? A frase entre aspas é de Karla Gamba, coordenadora-geral do DCE (Diretório Central dos Estudantes) e aluna de Artes Cênicas. Artes cênicas? Se virar atriz, sua primeira reivindicação será enforcar os diretores de teatro...

Huuummm...

Os invasores também querem que os votos de professores, alunos e funcionários tenham o mesmo peso na eleição direta para reitor. Não é demais? Os doutores, a tia do cafezinho, o jardineiro e o estudante decidirão, em conjunto, quais são as prioridades da universidade. É justo!

— Companheiro Faxineiro e Companheiro Segurança, na opinião de vocês, devemos dar prioridade à pesquisa básica ou à pesquisa aplicada?
— Veja bem, Companheiro Professor, à luz da necessidade dos funcionários, nós entendemos que a pesquisa básica etc, etc, etc.

Desnecessário dizer que, segundo os critérios dos valentes, os alunos sempre elegeriam o reitor. Quem entrasse para aprender já chegaria instruindo e dando as diretrizes de quem está lá para ensinar e para fazer pesquisa. Hoje, o voto dos professores tem um peso de 70%, e os dos estudantes e funcionários, de 15% cada.

A eleição direta, mesmo com a ponderação acima, já caracteriza um descalabro. Digam-me uma única universidade respeitável no mundo, pública ou privada (pertencente a fundações), que seja dirigida por um “delegado” dos alunos.

“Ah, mas olhem lá o que eles fizeram”, poderia objetar alguém. Pois é: a UnB só chegou àquele grau de desmando por conta do “democratismo”. Há muito tempo a universidade não é gerida pelos mais aptos, como seria o desejável, e sim por aqueles que conseguem se fazer mais influentes junto aos grupos militantes que a assombram. Mulholland se mantinha no cargo seguindo religiosamente a pauta das esquerdas. Agora elas querem avançar.

Davi Gentilli disse...

Parabéns pela vitória, companheir@s!!!

parabéns pela coragem de enfrentar a descrença, o pessimismo, a apatia, o peleguismo e, principalmente, essa EX-reitoria corrupta da UnB.
Digam aos reacionários "legalistas" que essa é verdadeira maneira de se ocupar os espaços institucionais que não são nossos.

Valeu!! O Brasil inteiro tem muito orgulho de vocês!

Adiante nas lutas!

Davi Gentilli
UFES

Alex disse...

"...porém muitos estudantes aqui na Reitoria já têm se manifestado contra um interventor. A alternativa que defendemos é que a UnB indique..."

Mas de que forma vamos indicar esse reitor pro tempore? Alguém pode me responder?

já antecipo um forte abraço e parabéns a todos pelas conquistas!

Daniel disse...

Todo o apoio aos estudantes da UNB, nós da UNIR "Rondônia" os saudamos...
e segue à Luta companheiros!