terça-feira, 22 de abril de 2008

Primeira reunião do Fórum Permanente de Mobilização

Ocorreu hoje (21/04), ao meio-dia, a primeira reunião do Fórum Permanente de Mobilização, espaço para dar continuidade à luta pela paridade e por uma UnB democrática e transparente.

A ocupação terminou, mas a luta continua. Com a destituição da gestão do Reitor Timothy Mulholand, vencemos apenas a primera etapa. Agora começa a segunda fase, talvez até mesmo a mais difícil: criar as condições para construir uma nova UnB.

O carro-chefe desta fase é conquistar a paridade, tanto nas eleições para Reitor quanto no Congresso Estatuinte. Será um trabalho de formiguinha, precisaremos que os estudantes estejam mais unidos do que nunca, e que os coletivos organizados(DCE, CAs, AMCEU e demais entidades) atuem em uníssono.

O calendário oficial das primeiras atividades do fórum estão postadas ao lado. Participe, informe-se e atue. A UnB merece a sua participação! Você merece uma nova UnB!

3 comentários:

gotaelbr disse...

Amigos,

Vosso exemplo de luta pela ética está sendo reportado em meu blog.
PARABÉNS !

FanFan disse...

como foi pedido, uma copia da carta dasegunda 7 de abril leita na AG
Galera, Companheiros,Amigos
A lei capitalista mundial prohibe a internacionalização da luta.Os estrangeiros não podem se juntar ao movimento estudantil porque recebem na hora uma ameaça de deportação. Os governos oligarquos fragmentam os povos porque eles têm medo de perder seu poder.
Se Timothy me ameace de expulsão, se o reitor recuse a transparencia das contas, se ele não quiser falar da paridade, é porque ele more de medo de NÓS. Somos poderosos, ele sabe. Estranhamente alguns estudantes duvidam disso.
Somós poderosos porque 3 dias depois do inicio do semestre, eramos 400 em assembleia geral. Somós poderosos porque 150 estudantes ocupam, desde quinta, a reitoria. Somós poderosos porque dentro do gabinete do ladrão, diversos grupos com ideais diferentesconseguiram a união para atingir um ojetivo comum.
O estado policial me obriga a me afastar do movimento MAS tenham a certeza que vocês têm meu apoio total e minha ajuda clandestina. Outros estrangeiros apoiam vocês mesmo se eles estejam a 10 000km.
A O.M.C impõe a privatização da educação no mundo inteiro. A resistencia deve ser MUNDIAL. A luta é GLOBAL. A vitoria será TOTAL.

textos e fotos da ocupaçao no meu blog

punks & skins disse...

Foi um erro esta estratégia adotada. Na própria postagem fala que a segunda "fase" desta luta (se referindo a paridade) será mais difícil ainda que a primeira, caracterizada pela expulsão do reitor e sua corja com a ocupação da reitoria. Ora, se esta expulsão seria mais fácil, porque ter limitado a ação de maior empenho e de maior força(a ocupação) somente para esta tarefa mais fácil? E porque definir para um objetivo mais duro e difícil(a paridade no caso) uma estratégia de ação mais amena e mais fraca, sem adotar a ação direta combativa como a própria ocupação e a Greve Geral? Resumindo, é uma grande debilidade deixar para a maior luta, que é por mais democracia na UnB, uma estratégia de ação com menos impacto e pressão da burocracia universitária, ao mesmo tempo em que desprezou e limitou a força da ocupação meramente a tarefa mais simbólica e fácil, que foi a expulsão do reitor.

A estratégia a ser adotada deve perseguir necessariamente a maior mobilização e organizar pela base os estudantes e trabalhadores da UnB, para imporem suas vontades contra a burocracia universitária!